Koblenz é uma cidade estratégica. É lá que dois dos grandes rios da Alemanha se encontram em um local conhecido como “Deutsches Eck” (esquina alemã, em Português). Mas Koblenz é muito mais do que uma esquina famosa. A pequena-grande-cidade tem ares de ares de interior, mas é a terceira maior em população do estado de Rheinland-Pfalz (Renânia-Palatinado, em Português)O encontro do Reno e do Mosel é apenas um mero detalhe.

Não só por causa da posição geográfica, mas também por causa da comida boa e da calmaria do local, Koblenz atrai milhares de turistas o ano todo. No ano de 2015, a cidade registrou mais de 650 mil pernoites. Apesar do pessoal que opta por dormir ali para aproveitar mais, é possível conhecer Koblenz em apenas um dia.

Essa é a famosa Deutsches Eck. À esquerda, chega o Mosel de mansinho para encontrar com o rio Reno, que tem uma correnteza fortíssima

Acima a foto da Deutsches Eck e agora o local de onde a foto foi tirada. O monumento homenageia Guilherme I, imperador alemão

O centro da cidade é totalmente caminhável e, aliás, isso não é uma opção. Não há transporte público circulando na maior parte da cidade antiga (ou Altstadt, em Alemão), o que força os turistas a aproveitarem o lugar passo a passo (literalmente!). Da estação central de trem (Hauptbahnhof) são apenas 20 minutos caminhando até o principal ponto turístico, a Deutsches Eck.

E o visual a caminho da Deutsches Eck é incrivelmente lindo e interminável. Um calçadão imenso conduz pelo leito do Reno até ele encontrar o Mosel

Duas coisas importantes sobre Koblenz: Ali bebe-se muito vinho e come-se muito bem. Os preços são okey para uma cidade que é extremamente turística. Há diversas opções de restaurantes, que servem desde comida tipicamente alemã até fastfoods. No Centro, há diversas ruas para compras, com lojas de grandes marcas e comércio local.

Outra das atrações é o teleférico que conduz sob o rio Reno até Festung Ehrenbreitstein, fortaleza erguida no topo da montanha que leva o mesmo nome da fortaleza (pouco original, mas tudo bem). A fortificação foi construída pela primeira vez entre os séculos IX e XX antes de Cristo, ou seja, é antiga pra caramba. o castelo foi erguido porque Koblenz sempre foi um local estratégico, não apenas por estar localizada no encontros de dois dos maiores rios da Alemanha, mas também por causa das montanhas que a cercam e ajudam a proteger.

O passeio de teleférico custa 6EUR para adultos ou 9EUR ida e volta (mas é óbvio que quem sobe vai querer descer). O ingresso na fortaleza custa 6EUR para adultos, mas a opção de comprar um ticket combinado (que inclui teleférico mais tour no castelo) por 11,50EUR. Estudantes e idosos têm desconto. Há também preços especiais para famílias, que podem ser checados aqui.

A estrutura que sustenta o teleférico e os carros em detalhe. Eu decidi não subir, pois no dia da visita havia um evento no castelo e era mais caro

Para quem gosta de sossego, Koblenz também é opção. A cidade está lotada de pequenas praças e, logo ao lado da Deutsches Eck, ficam um parque e o Blumenhof, uma mistura de museu-restaurante-espaço-para-eventos cujo jardim vale uma visita (e o melhor: totalmente grátis). O parque próximo a Deutsches Eck tem grama verdinha e árvores que fazem sombra, uma delícia no verão.

Esse dedão fica no pátio que leva ao jardim de Blumenhof. Como não há placa explicando, não sei do que se trata a obra de arte (se alguém souber, avisa!)

Koblenz também é conhecida na região por abrigar festas de música eletrônica, organizadas em casarões e castelos à beira do Reno. Em uma das vezes que estive na cidade, me deparei por acaso com uma festa dessas. Pagava para entrar no casarão onde havia música, mas não para ficar no jardim aproveitando o local. Bebi um drink ou outro em uma cadeira espreguiçadeira enquanto esperava pelo horário de pegar o trem de volta para casa.

Share: