Não precisa de muito esforço para me convencer a embarcar numa aventura que inclua MUITA neve. Mas, preste atenção: Isso não quer dizer que eu goste de frio. Na verdade, quando neva ou há metros e mais metros de neve acumulada, a sensação térmica é bem superior a de um dia chuvoso, pois o ar fico extremamente seco. Ou seja, nem faz tão frio assim em meio a montanhas branquinhas cobertas de neve. Também não precisa muito esforço para me convencer se o passeio incluir cachorros. Eu gosto tanto de caninos que eu chego a beijá-los na boca (ok, se eles refutam, eu não insisto).

Eu sempre quis andar de trenó. Pode parecer até um desenho meio infantil de quem cresceu assistindo a filmes norte-americanos cujo Natal era sempre branco. Eu já tinha experimentado andar de trenó morro abaixo, naqueles que você coloca no cume da ladeira e escorrega montanha abaixo. Agora, andar de trenó puxado por huskies é diferente.

Lógico que sempre vai haver alguém que pensa: “Coitado dos cachorrinhos, eles são obrigados a trabalhar puxando uma bando de gente sentada em um trenó que não faz nada”. Mas a história não é bem assim. Cães são utilizados há centenas de anos para ajudar na locomoção humana nos locais habitáveis do Polo Norte. Essas raças de cães – que não incluem apenas huskies – tem nos genes a missão de puxar, sejam trenós com alimentos ou pessoas, até casas inteiras. Em nenhum momento eu senti que os cachorros estavam sofrendo ou desgostosos com a atividade. Aliás, eles ficavam até meio irritados quando o trenó era freado, pois queriam mesmo era correr.

Olha essa carinha fofa e me diz se parece que ele tá sofrendo. Lógico que não! Ele queria mesmo era continuar a puxar o trenó!

O passeio começa no Centro de Tromso, de onde os turistas são recolhidos por um ônibus que, após 1 hora e meia de viagem, chega ao Camp Tamok. É lá que são oferecidos diferentes passeios – todos incluem neve, mas nem sempre animais. Além do passeio de trenó puxado por cachorros (dog sledding) ou renas (reindeer sledding), é possível andar de snowmobile (aquelas motos que lembram jet skis, mas para neve) ou optar por um combo de atividades, noturnas ou diurnas. O acampamento oferece ainda a possibilidade de pernoite, para quem quiser observar a Aurora Boreal.

Vista do Camp Tamok, que inclui barracas para alimentação, pernoite e vestiários. também tem sauna! O lugar é super limpo e organizado.

Chegando lá, todo mundo é convidado a vestir um overall e botas especiais para a neve. Eles fornecem ainda luvas e gorros, caso alguém esteja sem. O passeio custa 1850 NOK para adultos, mas crianças entre 4 e 15 anos têm desconto de 50%. Além da voltinha com os cães durante 1 hora e meia em meio às montanhas geladas, está incluído o almoço (que trata-se, basicamente, de sopa com pão). Levando em conta o deslocamento até o local (cerca de 3 horas), mais o tour e horário de almoço, são 7 horas de passeio.

O passeio no trenó deve ser feito em dupla. Enquanto uma pessoa fica sentada no trenó – e aproveita para fazer fotos e vídeos ou admirar a paisagem -, a outra precisa conduzir os cachorros. Isso é, a partir de movimentos no trenó, eles sabem se é para correr ou parar. Há um sistema de frenagem nos trenós, que ajuda a evitar acidentes com as equipes que andam à frente. Os turistas são divididos em grupos de quatro ou cinco trenós e cada grupo segue com um guia para o passeio. O guia vai sempre à frente e avisa quando há descidas muito inclinadas, para que sejam feitas com suavidade.

Cerca de 40 minutos após o início da trilha, o grupo para e há a possibilidade de trocar o condutor do trenó. Eu conduzi na segunda etapa do passeio – estava com uma amiga que preferiu iniciar. Ela teve um pouco de dificuldade, principalmente porque o trenó é pesado e é preciso empurrá-lo para ajudar os cachorros a subir as inclinações. Eu tive um pouco de sorte, pois peguei logo a manha – não é preciso se matar empurrando o trenó, apenas fazendo um pequeno movimento que ele acaba deslizando com facilidade na neve. Ela abusou do freio, o que deixou os cães um pouco acuados. Toda vez que eles tomavam velocidade, ela ficava com medo e freava. Eu mal toquei no freio – eu queria mesmo era que eles corressem sem ficar uma cordinha os puxando para parar (mas eu sou meio doida e não tenho medo de velocidade).

Na paradinha para a troca de condutor, todos aproveitam para descansar (cachorros e humanos). Eu, aproveitei para fotografar.

Cada equipe é composta por 5 ou 6 cães que puxam o trenó, mais dois humanos (um condutor e um passageiro). Esse era o nosso grupo!

Cada cão tem um nome próprio, e eles são tratados como gente pelos cuidadores/guias. Eles moram em casinhas especiais, em meio à neve, e comem carne crua nas refeições. Há cachorros de todas as idades vivendo e trabalhando no Camp Tamok. Os mais novos, obviamente, são os mais fortes ao puxar os trenós. Os mais velhos, no entanto, são os coordenadores da equipe.

Eu, bem feliz de overall e botinhas especiais, junto com a “minha equipe” 🙂 Aquelas ali são as casinhas que eles moram. Cada um tem a sua

Depois do passeio, os humanos de todas as equipes se encontram em uma das tendas para o almoço. É servida sopa de rena com pão. Há sempre sobremesa, uma especialidade norueguesa que não lembro o nome, mas é bastante doce. Há chá e água à vontade. Depois do almoço, despe-se o overall em vestiários especiais – bem quentinhos, não como o do passeio das baleias. Os banheiros do acampamento são super limpos e toda a estrutura é extremamente organizada. Há sim passeios mais baratos, em outros locais e com empresas diferentes, mas eu super recomendo a Lyngsfjord. Troquei alguns e-mails com eles antes de decidir pela compra Online e sempre foram super atenciosos. Os instrutores são super simpáticos, e o motorista do ônibus era uma simpatia.

A aventura começa às 9h em Tromso e termina por volta das 17h, quando retornamos ao ponto de partida. Ir embora é a parte mais chata

SERVIÇO:

O quê? Passeio de trenó puxado por huskies

Onde? Camp Tamok, a cerca de 1 hora e meia de Tromso

Quando? De Novembro a Março

Quanto? 1850 NOK para adultos

Share: